sexta-feira, 30 de novembro de 2012

SANTO ESTANISLAU KOSTKA - EXEMPLO DE SANTIDADE - NOBREZA E JUVENTUDE ALIADAS A VIRTUDE EXÍMIA


  

Uma das glórias da Companhia de Jesus, Santo Estanislau Kostka, é um dos santos não-mártires mais jovens da Igreja, pois faleceu aos 18 anos incompletos, tendo entretanto vivido, para a virtude, como um ancião
"Ajoelha-te, ajoelha-te; vê que Santa Bárbara, acompanhada de dois Anjos, traz-me a Comunhão”, exclamou Estanislau moribundo no leito, dirigindo-se a seu preceptor, quando estudante no colégio jesuíta de Viena.
E o preceptor completa sua narração com as seguintes palavras: “E levantando-se, pôs-se de joelhos na cama. Depois disse três vezes: ‘Senhor, eu não sou digno...’ Abriu a boca... e estendeu a língua com profundíssima humildade”.(1) Mas não foi ainda desta vez que Estanislau morreria.
Esse episódio é emblemático da vida inteiramente excepcional deste Santo, cuja festa comemora-se a 13 de novembro, dia em que seu corpo foi exumado e encontrado sem nenhuma forma de corrupção.
Das mais nobres famílias da Polônia
Estanislau nasceu em 1550 no castelo de Rostkow, de uma família das mais nobres da Polônia, que se “distinguia pela invariável fidelidade à antiga fé católica, diante das tempestades luteranas e renascentistas”.(2) Seus pais foram João Kostka, Senador do Reino, e Margarida Kriska, de estirpe não menos ilustre que o marido.
Estanislau foi dessas almas que parecem ter, desde o berço, correspondido a todas as graças especialíssimas com que Deus as cumula, percorrendo em pouco tempo, na santidade, uma carreira que muitos levam a vida inteira para atingir.
De uma pureza extrema, qualquer palavra mais livre fazia o menino enrubescer e até mesmo perder os sentidos. Quão diferente da perversão infantil que grassa em nossos dias! “Falemos doutra coisa, costumava dizer o velho pai, senão o nosso Estanislauzinho levantará os olhos ao céu, para dar em seguida com a cabeça no chão”.(3) A par dessa extrema delicadeza de consciência, o menino foi, desde cedo, também modelo de sabedoria e honestidade.
Na capital do Império Austro-Húngaro
Foi-lhe dado como preceptor um jovem cavaleiro, João Bilinski, para ensinar-lhe as primeiras letras. Aos 14 anos seu pai enviou-o com este, e com o irmão mais velho, Paulo, para Viena, onde o Imperador Fernando tinha fundado um colégio jesuíta para a educação da juventude de língua alemã. Foram recebidos na qualidade de internos; e quando Maximiliano I fechou o internato, foram viver na casa de um luterano, o Senador Kimberker. Para a consciência reta de Estanislau, o viver sob o teto de um herege era um contínuo tormento.
Entre seus condiscípulos, Estanislau logo se fez notar “por seu belo espírito, assiduidade ao estudo e raras virtudes. .... Ele fugia cuidadosamente da conversação dos escolares libertinos e de tudo que não o incitasse à devoção e ao amor de Jesus Cristo .... O recolhimento e o silêncio faziam suas delícias; e, quando falava, era sempre com tanta modéstia e discrição, que, era perceptível, não dizia nada precipitada ou irrefletidamente”.(4)
Ora, nunca dois irmãos foram tão diferentes como Paulo e Estanislau. O primogênito era amante da boa-vida, mundano, dado aos prazeres que a grande capital podia oferecer. O caçula não vivia senão para as coisas celestes. E com isso era, mesmo sem o querer, uma censura muda e constante ao modo de ser do irmão. Evidentemente tinham que surgir atritos, que Paulo resolvia segundo a “lei do mais forte”, chegando muitas vezes a agredir Estanislau. Este entretanto tinha uma fortaleza de alma que se sobrepunha à moleza produzida pelos vícios no irmão.
Nossa Senhora lhe entrega o Menino Jesus
Certo dia Estanislau adoeceu tão gravemente, que os médicos declararam nada mais ser possível fazer, e que a medicina já não podia salvá-lo. O doente suplicou então ao irmão e ao preceptor que chamassem um sacerdote para ministrar-lhe os Sacramentos, ao menos a Sagrada Comunhão. No entanto, os dois, temendo desgostar o luterano que jamais permitira a entrada de um sacerdote católico em sua casa, optaram por fazer ouvidos moucos. Estanislau resolveu então apelar para o Céu; lembrou-se de ter lido certa vez que os que se recomendavam a Santa Bárbara não morriam sem receber os Sacramentos. Com fervor, pediu então a intercessão dessa Santa em seu favor. O que ocorreu a seguir, narrado por seu preceptor, depois ordenado Sacerdote, vem descrito no início deste artigo.
Pouco depois ele recebia também a visita de Nossa Senhora com o Menino Jesus nos braços e colocando-O nos de Estanislau. Ao despedir-se, a Mãe de Deus recomendou-lhe que entrasse para a Companhia de Jesus. No mesmo momento, Estanislau sentiu-se inteiramente curado.
Dois Santos o auxiliam a realizar sua vocação

O adolescente quis obedecer imediatamente o conselho de Nossa Senhora. Foi procurar o Pe. Provincial dos jesuítas na Áustria, mas este negou-lhe admissão sem a autorização do pai; recorreu ao Legado Papal, que também não quis comprometer-se. Aconselhado então pelo Pe. Francisco Antônio, confessor português da Imperatriz, fez o voto de peregrinar de casa em casa da Companhia pelo mundo, até encontrar uma que o admitisse sem condições.
Para isso teve que sair escondido de casa e tomar a estrada para Augsburgo. Doou seus trajes de seda a mendigos, e vestiu-se com uma grosseira túnica adrede preparada. Entrementes seu irmão e o preceptor, dando-se conta da fuga, partiram de carruagem atrás do fugitivo. Quando dele se aproximaram, Estanislau, como um pobre peregrino, pediu uma esmola. Sem se darem conta, jogaram-lhe uma moeda e continuaram o caminho...
Como o Provincial de Augsburgo encontrava-se em Dilingen, para lá se dirigiu o jovem polonês. Ora, este não era senão o grande São Pedro Canísio, que reconquistaria para a verdadeira fé quase metade da Alemanha, pervertida pelo ímpio Lutero. Como os Santos se entendem, foi sem dificuldade nenhuma e com grande alegria que ele recebeu o jovem postulante. E, para livrá-lo da possível perseguição do pai, enviou-o com outros dois pretendentes à casa mãe, em Roma.
Outro grande Santo, São Francisco de Borgia, então terceiro Geral dos jesuítas, recebeu Estanislau na Cidade Eterna com os braços abertos dizendo-lhe: “Estanislau, eu te recebo, e não te posso negar este gosto, porque tenho muitas provas de que Deus te quer em nossa Companhia”[i].
Assim via Estanislau atendidos seus votos, entrando para o noviciado de Santo André do Quirinal a 28 de outubro de 1567.
O Anjo do Noviciado
Em pouco tempo o jovem polonês mereceu de seus condiscípulos o cognome de o Anjo do Noviciado. “Apoiado no conhecimento de si mesmo, quer dizer, de seu nada [sem a graça divina], de suas fraquezas, de sua incapacidade para todo bem e de sua corrupção original, ele tinha uma humildade que os louvores não podiam alterar, e que as reprimendas mais humilhantes não podiam exasperar”.(6) Seu amor a Deus era tão veemente, que abrasava-lhe o peito. Um dia, o Padre-ministro encontrou-o muito cedo no pátio, perto da fonte, refrescando-se. ¾ “Que fazes aqui numa hora tão matinal?” perguntou-lhe. Respondeu o noviço: ¾ “Padre, meu peito ardia muito e vim buscar um pouco de alívio”.(7)
Devoção especialíssima à Mãe de Deus
Estanislau tinha a mais profunda devoção a Maria Santíssima. Estudava e compilava os textos mais belos em seu louvor, e as passagens mais próprias a demonstrar sua grandeza. Em sua honra rezava, desde pequeno, o Rosário. A quem lhe perguntava por que amava tanto a Maria, respondia: “Como não A hei de amar, se é minha Mãe?”
Foi por insistência sua que se instituiu o costume de os noviços todas as manhãs, logo ao acordarem, porem-se de joelhos voltados em direção da Basílica de Santa Maria Maior, e pedir a Nossa Senhora sua bênção. O mesmo fariam à tarde, logo depois do exame de consciência. Esse costume manteve-se depois no Noviciado.
O desejo de Estanislau era o de morrer na véspera do dia de gloriosa Assunção de Maria ao Céu, e ele teve uma revelação de que seu voto seria atendido.
No dia de sua festa, Maria Santíssima vem buscá-lo e o leva ao Céu
Como era costume em diversas comunidades religiosas, no fim do mês de julho foi distribuído a esmo, no noviciado jesuíta, o nome de um Santo daquele mês que cada religioso deveria venerar e honrar de modo mais especial durante o mês entrante. Coube a Estanislau, para agosto, o do grande mártir São Lourenço. No dia 8, na vigília da festa do Santo, Estanislau quis honrá-lo de uma maneira particular, fazendo um ato de humilhação pública. Após ter dito suas faltas no refeitório, osculou os pés de cada religioso, disciplinou-se, e pediu a cada um de esmola um pequeno pedaço de pão para sua refeição. Depois foi ajudar na cozinha onde, à vista do fogo, começou a meditar nos sofrimentos de São Lourenço, assado vivo em uma grelha. Isso o impressionou tanto, que caiu desmaiado. Levado à sua cela, veio-lhe à boca um fluxo de sangue. Soube então que seu desejo de morrer no dia da Assunção seria satisfeito. E isso ele o dizia a todos.
Na vigília dessa gloriosa festa, pediu para lhe serem administrados os Sacramentos, que recebeu angelicamente. E às três horas da manhã do dia 15, Nossa Senhora, acompanhada por uma multidão de Anjos, veio receber a virginal alma de Estanislau Kostka. Ele morria aos 18 anos incompletos, tendo passado apenas 10 meses no noviciado jesuíta.
Acorreu tanta gente a seu enterro, que levou seu médico, Dr. Francisco Tolet, depois nomeado Cardeal, a exclamar: “Eis uma coisa verdadeiramente maravilhosa: um pequeno noviço polonês que morre; faz-se honrar pela cidade de Roma como um Santo!”.(8)
A glorificação post mortem
Enterrado na igreja Santo André monte Cavallo, em Roma, começaram a ocorrer milagres em seu túmulo. Sua fama difundiu-se, primeiro por sua pátria, e depois por toda a Europa. Na Polônia “não havia Prelado ou grande senhor que não quisesse ter [sua estampa], e o próprio Rei colocou-o em sua galeria junto às imagens dos santos”.(9)
Beatificado em 1604, Estanislau foi canonizado em 1726.
________________
Notas:
1-Pe. José Leite, S.J., Santos de Cada Dia, Editorial A.O., Braga, 1987, 3ª edição, vol. III, p. 294
2-Idem, ibidem
3-Id. Ib.
4-Lês Petits Bollandistes, Viés dês Saints, d'après de Père Giry, par Mgr. Paul Guérin, Paris, Bloud et Barral, Libraires-Éditeurs, Paris, 1882, vol. XIII, p. 388.
5-Abbé Croisset, Año Cristiano, tradução espanhola do Pe. José Francisco de Islã, Saturnino Calleja, Madri, 1901, tomo IV, p. 497
6-Les Petits Bollandistes, op. cit. p. 391.
7-Pe. José Leite, op. cit., p. 296.
8-Les Petits Bollandistes, op. cit., p. 394.
9-Id., ib., p. 394

30 de Novembro - Santo André (Apóstolo)




Busto relicário de Santo André
ourivesaria napolitana - séc. XVI
catedral de Amalfi

Santo André era irmão de Simão Pedro e como ele pescador em Cafarnaum, para onde tinham migrado ambos da cidade natal de Betsaida. Jesus demonstra as profissões exercidas pelos doze apóstolos - deu preferência aos pescadores, embora no meio do colégio apostólico os agricultores estivessem representados por Tiago Menor e seu irmão Judas Tadeu, e os comerciantes e homens de negócios estão honrados pela presença de Mateus. Dos doze, o primeiro a ser tirado das tranquilas e fecundas águas do lago de Tiberíades para receber o título de pescador de homens, foi justamente André, seguido logo de João.


Giuseppe de Ribera
Quadreria dei Girolamini - Nápoles

Os dois primeiros chamados haviam já respondido ao apelo do Batista, cujo grito os havia arrancado da pacífica vida do dia-a-dia para prepará-los para a iminente chegada do Messias. Quando o austero profeta lhes indicou Jesus, André e João se aproximaram dele e com emocionante simplicidade limitaram-se a perguntar-lhe: "Onde moras?", sinal evidente de que em seu coração já haviam feito a escolha. André foi também o primeiro a recrutar novos discípulos para o Mestre: "André encontrou primeiro seu irmão Simão e lhe disse: "Achamos o Messisas". E o conduziu a Jesus". Por isso André ocupa um lugar eminente no elenco dos apóstolos: os Evangelistas Mateus e Lucas colocam-no no segundo lugar, logo depois de Pedro.

Luca Giordano
Crucificação de Santo André
coleção particular

Santo André é mencionado no Evangelho mais duas vezes, na multiplicação dos pães, quando apresenta o menino com alguns pães de cevada e poucos peixinhos; quando se faz intermediário do desejo dos forasteiros vindos a Jerusalém para serem apresentados a Cristo, e quando com a sua pergunta provoca a predição por Jesus da destruição de Jerusalém.
Diz a Tradição que, por ocasião da partida dos apóstolos para levar o Evangelho pelo mundo, André viajou para a região dos mares Cáspio e Negro. Por último, fundou a igreja em Patras, na Grécia, que foi uma das mais florescentes dos tempos apostólicos. Esta mesma fonte afirma ter Santo André morrido crucificado em Patras, no dia trinta de novembro. A ele está relacionada a Cruz de Santo André em forma de X.
Mattia Preti
Crucificação do Santo
altar-mor da Igreja de Sant'Andrea della Valle - Roma

Depois das perseguições romanas, as relíquias do Santo foram transportadas para Constantinopla e, pelo ano 1460, transferidas para Amalfi e Roma. Mais recentemente, o Papa Paulo VI, em 1964, desejando simbolizar a união de fraternidade com a Igreja Ortodoxa, devolveu as relíquias de Santo André à Igreja de Constantinopla.


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

29 DE NOVEMBRO - 80º ANIVERSÁRIO DAS APARIÇÕES DE BEAURAING - BÉLGICA









Os videntes

As irmãs Andreia e Gilberta Degeimbre, de 14 e 9 anos respectivamente, e outros três irmãos, Fernanda, Alberto e Gilberta Voisin, de 15, 11 e 7 anos.


A Mensagem

Na tarde de 29 de Novembro de 1932

As duas irmãs Degeimbre e os dois irmãos Alberto e Fernanda Voisin, dirigem-se para a escola das religiosas, para irem buscar a mais nova dos Voisin, Gilberta. Já tinha caído a noite e fazia frio.

No fim da rua da igreja, onde era a escola das irmãs, elevam-se dois pilares que sustentam um viaduto. Alberto, chegados à parta da escola, volta-se na direcção dos pilares e é aí que vê uma forma branca, semelhante à imagem de Nossa Senhora de Lourdes que estava numa reprodução da gruta de Lourdes, que havia no jardim da escola. Perante a exclamação de Alberto, todas as crianças se viraram e viram uma pessoa vestida de branco que flutuava no ar entre o viaduto e gruta da Virgem de Lourdes. Aparece entretanto a pequena Gilberta à porta da escola e, não sabendo de nada, vê também "uma mulher vestida de branco e de mãos juntas, e que olhava para ela". As religiosas, alertadas pelas palavras das crianças, disseram que uma imagem (a da gruta de Lourdes) não podia mexer e mandaram-nas para casa.


No dia seguinte, o mesmo grupo deslocou-se à escola à mesma hora. Lá estava Nossa Senhora com o mesmo aspecto, deslocando-se no ar.

No dia 1 de Dezembro

Novamente as crianças se dirigiram ao local, seguidas de cerca de doze pessoas entre as quais a mãe Degeimbre munida dum varapau.

A Virgem aguardava as crianças no caminho que vai desde o gradeamento do jardim da escola até à gruta. A visão durou apenas instantes, o tempo de ver uma luz mais intensa que das outras vezes e que a cabeça da virgem estava rodeada duma coroa feita de numerosos raios dourados que lhe cingia a fronte. Tinham também brilhantes olhos azuis que contemplavam as crianças com extrema doçura.

Feitas as inspecções sem sucesso pela Sra. Degeimbre e pelos outros, as crianças preparavam-se para voltar a casa quando deram um grito e, diante delas, em cima duma nuvem junto ao chão, estava a Virgem de mãos juntos e de olhos virados para o céu. As crianças caíram em êxtase. Quando a imagem desapareceu, abrindo os braços para as saudar e abençoar, sempre sem dizer uma palavra, as crianças saíram do êxtase. Mas, poucos passos à frente, viram de novo a Virgem e não foi pela última vez nesse dia. As mães dos videntes decidiram voltar à gruta para mais inspecções, As crianças foram atrás delas e cerca das oito da noite, depois de terem ultrapassado o gradeamento, Alberto, Fernanda e Andreia caíram de joelhos: a Virgem tinha voltado e estava debaixo dum arbusto, um tronco de espinheiro.

A Virgem apareceu neste local mais de 30 vezes. A Madre Superiora proibiu que as crianças fossem à escola no dia seguinte. As crianças obedeceram mas passaram a noite a rezar e a chorar.

Todas as aparições acorreram ao fim do dia, o que deu origem a uma grande afluência. Nos primeiros dias a Santa Senhora parecia esperar pelas crianças. Apareceu-lhes enquanto rezavam o terço. Quando a viram, as suas vozes tornaram-se mais agudas e mais altas parecendo uma só voz. Algumas centenas de pessoas rezavam com elas durante este silêncio puro. As religiosas que escutam esta maravilha, que terão elas pensado? A verdade é que não apareceram e conservaram o gradeamento fechado. Então, em 8 de Dezembro, de manhã muito cedo, confessa-se um grande número de pessoas, muitas delas claramente convertem-se. Um número enorme recebe a comunhão. Depois da missa há uma procissão aos troncos de espinheiro. Começa a vir gente de toda a parte da Bélgica.

Às três horas da tarde, o terreno do convento está cheio de gente, bem como a rua. A polícia mantém a ordem e entoa-se o cântico: "Estende as tuas mãos abençoadas sobre toda a Bélgica". O espaço em torno dos espinheiros está cheio de velas acesas e então, o gradeamento do convento é fechado o que não foi muito fácil. As velas são apagadas e a polícia continua a patrulhar o lugar para proteger a propriedade das religiosas e impedir que as pessoas forcem o gradeamento.

Às 18 horas, as crianças chegam e ouve-se uma voz que diz: "Ela está aqui!!" Caem de joelhos e rezam a Avé Maria. Pedem a Nossa Senhora que fale mas ela faz só um sorriso. Então todos rezam o terço inteiro e a aparição permanece visível durante todo o tempo.

Há seis médicos que querem ver as crianças e examiná-las. Passam uma lâmpada eléctrica diante dos olhos de uma das crianças, um médico enfia uma agulha profunda noutra criança e coloca um fósforo aceso em cima da mão de uma das meninas, o fósforo arde até ao fim, mas não aparece nenhum sinal de queimadura. Os médicos concordam todos que as crianças estão em êxtase total.

As crianças são interrogadas em separado, mas não surgem diferenças entre o que cada uma diz. É admirável escutar o que a mais nova diz quanto à aparência da Senhora. Mas as pessoas perceberam que Nossa Senhora apareceu.

Finalmente, a Senhora diz quem é, respondendo a uma pergunta de Alberto:


Sou a Virgem Imaculada.

E Alberto continua: "Que quer de nós?"

A Virgem responde:


Quero que sejais sempre muito bons.

Em 23 de Dezembro, diz:


Queria que se construísse aqui uma igreja para que as pessoas possam vir em peregrinação.

Em 29 de Dezembro, Fernanda ouve dizer-lhe:


Rezai sempre.

Ao mesmo tempo, Fernanda vê aparecer sobre o peito da Virgem um coração de ouro resplandecente.

E também em 2 de Janeiro, Nossa Senhora diz:


Amanhã direi a cada um de vós, algo de muito especial.

Em 3 de Janeiro é o último dia das aparições e definitivamente o dia mais importante para os anúncios. Alberto recebe um segredo que nunca revelou e sua irmã Gilberta também.

Mas Gilberta, a mais crescida, ouve a grande promessa de Beauraing:


Converterei os pecadores.

E a Andreia, confirma a sua identidade:


Sou a Rainha do Céu e a Mãe de Deus. Rezai sempre.

A Fernanda, que ao princípio não se tinha dado conta de nada e que por isso continuava a rezar mais afincadamente, Nossa Senhora disse:


Amas o meu Filho? Amas-me? Então oferece-te a mim!


Reconhecimento pela Igreja


Em Fevereiro de 1943, D. Charue autorizou a devoção pública a Maria, em Beauraing, mas foi apenas em 1949, depois da Segunda Guerra Mundial, que o santuário foi oficialmente reconhecido e que saíram dois documentos importantes. O primeiro tratava de duas das muitas curas que tiveram lugar em Beauraing, declarando-as milagrosas.

O segundo documento era um carta dirigida ao clero em que o bispo dizia "estamos habilitados para dizer com toda a serenidade e prudência que a Rainha do Céu apareceu às crianças de Beauraing, durante o Inverno de 1932-1933, especialmente para nos mostrar com o seu coração maternal, o apelo intenso à oração e a promessa da sua poderosa mediação pela conversão dos pecadores."

TEL: (0XX12) 9701-2427



segunda-feira, 26 de novembro de 2012

25.11.2012 – Mensagens de Maria Santíssima e São Tirso e palestra do Vidente Marcos Tadeu Teixeira

VÍDEO DA APARIÇÃO, MENSAGEM DE NOSSA SENHORA E SÃO TIRSO E PALESTRA DO VIDENTE MARCOS TADEU.




JACAREÍ, 25 DE NOVEMBRO DE 2012
CAPELA DO SANTUÁRIO DAS APARIÇÕES DE JACAREÍ/SP
MENSAGEM DE NOSSA SENHORA E SÃO TIRSO
COMUNICADA AO VIDENTE MARCOS TADEU TEIXEIRA

MARCOS: “-Sim, já está em andamento. Como a Senhora quiser, colocarei sim.


MENSAGEM DE NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS

“-Amados filhos, hoje, quando já estais comemorando o
ANIVERSÁRIO DA MINHA APARIÇÃO À MINHA FILHINHA CATHERINE LABOURÉ, na qual lhe revelei a Minha MEDALHA MILAGROSA, Eu venho mais uma vez para dizer-vos:
Eu Sou a Mulher vestida de Sol terrível como um exército em ordem de batalha. E assim foi que apareci à Minha filhinha Catherine, poderosíssima mais brilhante do que o Sol, irradiando raios poderosíssimos das Minhas Mãos para mostrar ao mundo inteiro que Sou a Medianeira de todas as graças, a Rainha do Céu e da Terra, soberana e imperatriz dos Serafins, dos Querubins, dos Anjos, dos Santos que estão no Paraíso e também Celestial governadora do Céu e da Terra e de tudo o que neles existem. E por isso o Meu Filho Jesus, Rei do Céu e da Terra e de tudo o que neles existem e por isso, o Meu filho Jesus, Rei do Céu e da Terra por amor a Mim Me deu todo o poder para realizar aquilo que Eu quiser em qualquer lugar da Terra e para realizar portentos e prodígios para a salvação de todos os Meus filhos, para converter os pecadores e para despertar a fé naqueles que estão entorpecidos no sono da indiferença e do pecado.

 O poder Me foi dado no Céu e na Terra e por isso não há nada que Eu não possa realizar e é por isso também que em breve realizarei o maior Triunfo do Meu Coração Imaculado no mundo todo, a conversão do Meu filho Alfonso Ratisbone que era Judeu, inimigo da fé católica e que depois da Minha Aparição a ele se transformou não somente em bom católico, mas em Apóstolo fervoroso do Meu Filho e santo apóstolo Meu, prova-vos que para Mim não há nada impossível, nenhuma conversão é impossível, nenhuma obra é difícil.

Por isso, no Triunfo do Meu Coração Imaculado converterei muitos pecadores, muitos homens de coração duro, que como o Meu filhinho Alfonso Ratisbone Me rejeitavam e que naquele dia abençoado, glorioso e feliz cantarão Comigo louvores ao Senhor e bendirão o Meu Nome pelos quatro cantos da Terra.
O Meu poder se estende por tudo aquilo que Deus criou e não há muralha impossível de ser derrubada por Mim, por isso: Confiança Meus filhos! Continuai a rezar pela conversão dos pecadores, como e vos pedi e como bem fez o bom Barão que rezou pela conversão de Alfonso Ratisbone, em breve vossas orações serão ouvidas e eu converterei aqueles por quem vós tanto rezais e vos sacrificais nesta Terra.

As vossas orações não estão caindo em ouvidos surdos, como não caíram as Orações do Meu filho Barão e assim como Eu ouvi as súplicas dele fazendo a conversão de Alfonso, Eu também farei a conversão de muitos pecadores e assim será o grande Triunfo do Meu Coração Imaculado. Este Milagre acontecerá em virtude do Meu poder e das orações de tantos filhos Meus, que Comigo, intercedem, sofrem e sacrificam-se pela conversão dos seus irmãos mais pecadores. A Paz então reinará na Terra e uma era de Paz virá para todos vós, para os Meus filhos bons do mundo inteiro!

Eu Sou a Mulher vestida de Sol, terrível como um exército em ordem de Batalha e por isso apareci à Minha filhinha Catherine Labouré esmagando a cabeça da serpente infernal, para mostrar-vos que o tempo do Meu inimigo que estava para começar pouco depois da Minha Aparição à Minha Filhinha Catherine, este tempo que se estende até os vossos dias está para acabar e em breve Eu esmagarei a sua cabeça e livrarei o mundo inteiro do jugo satânico do seu maléfico poder. Por hora a serpente ainda se debate revolvendo a sua calda furiosamente contra vós, golpeando-vos todos os dias com ataques, insídias, tentações impuras e criminosas, seduções e muitas vezes também com perseguições movidas contra vós através dos maus, dos ímpios, dos sequazes dela. Mas não temais Meus filhos! Eu estou convosco e em breve o Meu Pé esmagará terminantemente, definitivamente a cabeça da serpente infernal e raiará para vós o novo dia da graça, da paz e da salvação.

Aqui onde Eu também apareci esmagando a cabeça da serpente infernal na Medalha que dei e que revelei ao Meu filhinho Marcos, confirmo-vos tudo isso que vos disse: Em breve o Meu Coração Imaculado triunfará e o mundo finalmente terá Paz.

Na Rue-du-Bac Eu revelei para vós a primeira Medalha profética do Meu Coração Imaculado e Aqui vos revelei a última e nas duas esmago a cabeça da serpente infernal para mostrar-vos que Eu só serei a vencedora de todas forças do mal e que por fim aqueles que Me seguiram, que obedeceram as Minhas Mensagens e que se consagraram ao Meu Coração Imaculado vivendo segundo o Meu Espírito, ou seja, segundo a Minha Vontade e não segundo a vontade própria deles, estes Meus filhos verdadeiramente obedientes e dóceis triunfarão Comigo e entrarão Comigo no novo Céu e na nova Terra que já se aproximam velozmente de todos vós.

Amai mais a Minha Medalha Milagrosa que dei à Minha filhinha Catherine Labouré para todos vós, porque nesta Medalha vos darei consolo, alívio, conforto, paz e sempre proteção. Amai-A, propagai-a e divulgai-A para o mundo inteiro, especialmente para os Meus filhos que não a conhecem, pois por não conhecerem a Minha Medalha, sofrem em vão sem consolo e demais.

Com a Minha Medalha Milagrosa terão os Meus filhos alento, fé e esperança no meio das tribulações desta vida e muitas vezes de muitos sofrimentos Eu inclusive os livrarei para que conheçam o Meu poder, para que vejam que estou ao lado Deles e para que sentindo o Meu amor no fundo dos corações Me correspondam, obedeçam as Minhas Mensagens e se transformem em Apóstolos do Meu Coração levando as Minhas Mensagens para o mundo inteiro.

Amai mais a Medalha Milagrosa que dei à Minha filhinha Catherine Labouré para vós, para o mundo inteiro, porque nesta Medalha profética do Meu Coração Imaculado estão os sinais da Minha vitória iminente, para que assim os Meus filhos todos tenham esperança, confiança e fé em Mim e para que todos os dias os Meus filhos olhando para Mim a Virgem Imaculada, a sem pecado concebida, a Mulher vestida de Sol, terrível como exército em ordem de batalha cada vez mais se conscientizem do seu dever de serem santos como Eu, imaculados como Eu e também se tornem Meus soldados marchando comigo todos os dias: na oração, na penitência, na divulgação das Minhas Mensagens para que o mundo todo se converta e tenha paz.

A todos vós Meus filhos, que Eu tanto amo e aos quais tanto amor demonstrei na Minha Aparição em Paris à Minha filhinha Catherine Labouré aos quais tanto amor demonstrei também Aqui nas Minhas Aparições em Jacareí que Eu tanto amo e onde vou terminar os planos que comecei na Minha Aparição na Capela na Rue-Du-Bac.

A todos vós, neste momento abençoo com amor, de
PARIS, de LOURDES, de COTIGNAC e de JACAREÍ.

A Paz a todos vós Meus filhos! A paz a ti Marcos, apóstolo da Minha medalha Milagrosa que como a Minha filhinha Catherine Labouré tanto a divulgou, a propagou e a fez amada de todos os Meus filhos, segundo os meus desejos, obre ti agora desce uma chuva de bênçãos celestiais do



MENSAGEM DE SÃO TIRSO

“-Marcos, Eu, TIRSO, servo de Deus, servo da Virgem Imaculada, alegro-Me por poder vir transmitir-vos a Minha primeira Mensagem hoje.

Amai a Senhora Imaculada com todo o vosso coração dando a Ela o vosso sim e deixando abrasar o amor Dela em vossos corações. Quando a alma achega-se à Virgem Imaculada, abre-lhe o seu coração, ao menos uma fresta, entram dentro de seus corações os raios de luz que Ela mostrou à Santa Catarina na Sua Aparição em Paris e assim a alma fica repleta da luz do Senhor, repleta da Virgem Imaculada, experimenta dentro dela a suave doçura do amor da Mãe de Deus. E então, as coisas do mundo que antes lhe pareciam tão agradáveis, tão cobiçáveis, que lhe pareciam tão atraentes passam a ter não somente um gosto amargo, mas mesmo um sabor venenoso que faz com que a alma as deplore, as rejeite e busque tudo aquilo que é celestial, que antes não procurava, não buscava porque não estimava.

A luz da Mãe de Deus quando entra numa alma faz com que ela veja como estimáveis todas as coisas de Deus. Aquilo que antes lhe parecia impossível querer, desejar ou gostar torna-se agora como que um maná do Céu, suave, doce que enche a alma de suave agrado e enlevo espiritual, faz a alma transbordar de alegria, felicidade e contentamento, desperta na alma a fome e a sede de Deus e faz com que ela busque conhecer a Deus, busque conhecer a Virgem Santíssima cada vez mais e com mais sede. Por este sinal reconhecereis a alma que verdadeiramente ama o Senhor e a Sua Mãe, se ela tem cada vez mais sede de conhecer a Deus, de conhecer a Virgem Santíssima, de procurar compreender Sua vontade, Sua santidade para assim melhor servi-Los e agradá-Los.

O verdadeiro santo é aquele que tem uma sede implacável de Deus e da Virgem Santa e quanto mais ele lê sobre os Santos, sobre Deus na Sua misericórdia e bondade, quanto mais ele conhece a vida da Virgem Santíssima, Suas Virtudes, conhece Seu Amor, Suas Manifestações e Suas Mensagens, mais a alma deseja conhecer, mais a alma deseja saborear e provar.

O verdadeiro santo se conhece por aquele que também renuncia a sua vontade e faz a vontade do Senhor e da Mãe de Deus ainda que lhe custe esforço e sacrifício.

O verdadeiro santo se conhece por aquele que não tem preguiça espiritual, que não tem relaxamento, que também não tem o coração bruto e endurecido para as coisas do alto e tão pronto, tão alegre e tão serelepe para as coisas da terra.
O verdadeiro santo é aquele que vive mais como um anjo do que como homem e mesmo nas obrigações diárias de cada dia que tem que cumprir e das quais Deus lhe pedirá conta até o último detalhe, esta alma que é santa, cumpre a vontade do Senhor, espalha o amor do Senhor, esparge sobre as almas ao seu redor a luz da qual está cheia, o amor do qual está repleta, a água da graça do Espírito Santo da qual está inundada.

O verdadeiro santo se conhece por estar cada vez mais com o seu pensamento, sua vontade e sua ação voltadas para agradar ao Senhor e não para agradar aos homens ou a si mesmo. Por isso, Eu venho chamar-vos a amar cada vez mais a Senhora Imaculada, a Virgem terrível como um exército em ordem de batalha, que vos deu a Medalha Milagrosa, que vos deu a Medalha da Paz, que vos deu todas as Medalhas e Escapulários que Aqui vós tendes e conheceis, que vos deu as Suas Mensagens em todos os cantos da Terra chamando-vos à conversão, a amá-la com todo o vosso coração. Para que assim, das vossas almas e dos vossos corações se irradiem a mística luz da Mãe de Deus como se irradiou da pessoa e da vida toda de Santa Catherine Labouré, para que assim, vós também sejais um sinal perene do amor, da presença, da bondade e do poder da Virgem Santíssima para o mundo inteiro.

Eu,
TIRSO estou convosco em todos os momentos, em todas as vossas dificuldades, acompanho-vos, protejo-vos e rezo sempre mais por vós.
A todos, neste momento, abençoo generosamente e especialmente a ti Marcos, que não conhecias a Minha existência, mas a quem Eu protejo e guardo já há muito tempo e que sei que agora te tornarás um verdadeiro amigo Meu e verdadeiro propagador da devoção a Mim que tantas almas levarão ao Céu e tanto bem farão à terra inteira! “A todos neste momento abençoo generosamente.”

FILME EXIBIDO NESTE CENÁCULO:


VOZES DO CÉU 6

RELATA AS APARIÇÕES DE NOSSA SENHORA À SANTA CATARINA LABOURÉ EM PARIS (FRANÇA) 1830

http://gloria.tv/?media=133135

TEL DO SANTUÁRIO: (0XX12 - 9701-2427)


01.12.2012 - SÁBADO – 14HS - ORAÇÃO DAS MIL AVE-MARIAS.

02.12.2012 - DOMINGO – 9HS -  CENÁCULO

08.12.2012 - SÁBADO – 11HS - CENÁCULO ESPECIAL DA HORA DA GRAÇA UNIVERSAL.


ATENÇÃO:


08.12.2012 - 11HS - SÁBADO - CENÁCULO ESPECIA DA HORA DA GRAÇA UNIVERSAL - OS PEREGRINOS PODERÃO LEVAR FLORES PARA HOMENAGEAR A NOSSA MÃE CELESTE E TAMBÉM O TRATADO DA VERDADEIRA DEVOÇÃO À MARIA SANTÍSSIMA (SÃO LUIS MARIA GRIGNION DE MONTFORT) PARA RENOVAR A CONSAGRAÇÃO.






sexta-feira, 23 de novembro de 2012

23 DE NOVEMBRO - DIA DE SANTA FELICIDADE - MEDITEMOS SUA MENSAGEM DADA NAS APARIÇÕES DE JACAREÍ SP BRASIL

SANTA FELICIDADE, ROGAI POR NÓS!





JACAREÍ, 16 DE OUTUBRO DE 2011
CAPELA DO SANTUÁRIO DAS APARIÇÕES DE JACAREÍ/SP
MENSAGEM DE NOSSA SENHORA  E DE SANTA FELICIDADE
COMUNICADA AO VIDENTE MARCOS TADEU TEIXEIRA




MENSAGEM DE NOSSA SENHORA

“-Amados filhos, hoje novamente convido-vos ao Amor!

         Abri os vossos corações para o perfeito amor do Senhor, deixando entrar nele a Sua graça, deixando entrar nele a Sua paz, deixando que Ele mude completamente as vossas vidas, as transforme até que elas se tornem conforme o Seu divino beneplácito.

         Sim Meus filhos! Eu venho chamar-vos ao amor verdadeiro, que não conhece cansaço, nem demora, nem medida. O amor verdadeiro não é mesquinho, não regula o quanto se doa para o Senhor e para Mim, mas pelo contrário é generoso, dá-se cada vez mais e quanto mais se dá, mais deseja dar-se porque a sua felicidade consiste justamente em repartir, em doar, em partilhar a graça, a misericórdia e o amor do Senhor para com todos.

         O amor que é verdadeiro, não sabe demorar-se, é pronto, rápido e decidido no cumprimento da divina vontade do Senhor, esquece-se de si mesmo, despreza-se a si mesmo por causa do amor maior do Senhor. Por isso a alma que tem o verdadeiro amor é rápida, pronta e firme no cumprimento da vontade do Senhor, esta vontade e a sua realização é a sua força, é aquilo que a move, impulsiona para frente e ela não tem outra alegria nem satisfação maior, do que se não, cumprir esta vontade.

         Eu vos chamo a este amor generoso que nunca se cansa! A alma que verdadeiramente ama ao Senhor, embora carregada de muitas tribulações, provações e sofrimentos às vezes não se cansa, porque a sua força vem da própria fornalha do amor divino que nunca diminui, nem esfria. Por isso ela está sempre em paz, está sempre confiante e serena, embora a embarcação de sua alma seja sacudida às vezes por mil ventos e mil ondas de sofrimentos. A alma, porém não soçobra, não sucumbe, não afunda, porque está confiante naquele que a dirige e que a conduz cada dia que é o Senhor com o Seu imenso AMOR!

         Eu vos convido Meus filhos, a aprenderdes de Mim, a Mãe do verdadeiro Amor, a Mãe do belo Amor, o amor perfeito para com o Senhor, para com o próximo, a fim de que assim, verdadeiramente o amor do Senhor triunfe neste mundo cheio de ódio, de violência e de pecado, quando cada dia mais se atenta contra a vida do próximo e os seus bens.

         Eu vos convido, verdadeiramente a buscardes este amor através da oração, sobretudo do Meu ROSÁRIO, a vitória do AMOR DIVINO no mundo se dará pelo Meu ROSÁRIO e é por meio das almas que rezam o Meu ROSÁRIO todos os dias que Eu hei de espalhar a CHAMA DO AMOR DIVINO, a Minha chama em todos os corações.

         É PELO ROSÁRIO QUE EU QUERO VIVER, REINAR E TRIUNFAR NA TERRA! SERÁ POR ESTA ORAÇÃO QUE O MEU CORAÇÃO VERDADEIRAMENTE LANÇARÁ RIOS DE LUZ NESTE MUNDO PARA DISSIPAR TODA A TREVA DE PECADO, DE IMPIEDADE E DE MALDADE.

         POR MEIO DO MEU ROSÁRIO, UM DIA EU CANTAREI: HOSANA, VITÓRIA, VITÓRIA DO MEU SENHOR, SOBRE TODOS OS POVOS, SOBRE TODAS AS NAÇÕES E EM TODOS OS CORAÇÕES!

E VÓS MEUS FILHOS, QUE ME AMAIS, QUE ME ESCUTAIS, QUE ME SEGUIS, TAMBÉM CANTAREIS COMIGO: VITÓRIA, VITÓRIA, HOSANA!

         Eu vos amo muito! E porque muito vos amo não Me canso de conceder novas graças a vocês. Por isso reafirmo aquilo que disse na quarta-feira passada:
         EU ALCANCEI DO MEU SENHOR A GRANDE MERCÊ, PARA TODOS OS MEUS FILHOS QUE USAM A MINHA MEDALHA DAS LÁGRIMAS, QUE EU REVELEI À MINHA FILHINHA AMÁLIA AGUIRRE. ESTA GRAÇA É A INDULGÊNCIA, O PERDÃO COMPLETO DAS CULPAS TODOS OS SÁBADOS, PARA OS MEUS FILHOS QUE USAREM A MINHA MEDALHA DAS LÁGRIMAS COM AMOR, NO PESCOÇO DURANTE TODA A SUA VIDA.

         ESTA GRANDE GRAÇA EU ALCANCEI DO MEU DIVINO FILHO, PELOS MÉRITOS DAS MINHAS DORES E LÁGRIMAS. E O MEU FILHO A CONCEDEU A MIM PELO GRANDE AMOR QUE ELE ME CONSAGRA E PELA GRANDE MISERICÓRDIA E BONDADE QUE ELE TEM PARA COM TODOS VÓS MEUS FILHOS, ESPECIALMENTE PARA COM ESTE SANTUÁRIO QUE PARA MIM É TÃO QUERIDO, É O MAIS AMADO, É A MENINA DOS MEUS OLHOS, PARA COM O MEU FILHO MARCOS, O MAIS ESFORÇADO DOS MEUS FILHOS, PARA QUE ASSIM FIQUE ETERNAMENTE PATENTE A MINHA GRANDE BONDADE, A MINHA GRANDE PREDILEÇÃO POR ESTE LUGAR, PELO MEU FILHINHO MARCOS, POR VÓS QUE ME ESCUTAIS AGORA E QUE USAIS A MINHA MEDALHA DAS LÁGRIMAS COM AMOR!

         A todos neste momento, abençoo com os méritos das Minhas Dores e Lágrimas, com as virtudes dos Mistérios do SACRATÍSSIMO ROSÁRIO e com todas as graças eficazes do MEU CORAÇÃO IMACULADO: de POMPÉIAde FÁTIMA e de JACAREÍ.

         A Paz Meus filhos. A Paz Marcos, o mais esforçado dos Meus servidores.”


MENSAGEM DE SANTA FELICIDADE

         “-Meus amados irmãos, Eu, FELICIDADE, serva do Senhor, serva de Maria Santíssima, venho hoje abençoar-vos e dizer-vos:

         PAZ! PAZ AOS VOSSOS CORAÇÕES!
NADA PERTURBE A VOSSA PAZ! NADA DESTRUA A VOSSA PAZ! PERMANECEI SEMPRE EM PAZ!

         Vinde, vinde alegrar-vos no amor do Senhor. Vinde alegra-vos na cruz do Senhor. Vinde alegra-vos no amor da virgem Santíssima. Vinde procurar a fonte da vida que aqui está aberta para cada um de vós.

         Procurai a fonte da vida, que nestes tempos finais foi largamente aberta para vós pelo Senhor através das APARIÇÕES DA VIRGEM SANTÍSSIMA. Bebei a água das Suas mensagens que brota da fonte do Seu amor imenso por todos vós, para que assim a vossa sede seja finalmente saciada, a vossa alma possa finalmente sentir o amor, sentir a plenitude da graça, da paz e da alegria que sempre procurou!

         Bebei sempre mais desta água salutar das Mensagens da Mãe de Deus, onde vós encontrareis toda a inspiração, toda a resposta, toda a luz, todo o ânimo e toda a força para seguirdes em frente a cada dia na vossa caminhada rumo à santidade, rumo ao Céu, rumo a Deus. Bebendo desta água puríssima, vós tereis perfeita saúde espiritual, lavareis de vossas almas toda a impureza, toda a nódoa de pecado, tornareis as vossas almas belas, renovadas, revigoradas, e, sobretudo, cheias de força, saúde espiritual para caminhardes todos os dias da vossa vida na estrada da santidade, do amor e da graça com passo firme e decidido.

         Vinde beber à Fonte da Vida, da qual brota toda a alegria do Senhor, que Aqui neste LUGAR SAGRADO DAS APARIÇÕES DE JACAREÍ, vos foi largamente concedida e dada a beber. Aqui, a ÁGUA DA GRAÇA jorra sem cessar para todos, o que se pede é apenas boa vontade e que cada um de vós estenda a sua mão para tomar desta água e bebê-la em abundância. Quanto mais beberdes desta água mais ela jorrará para vós, porque ela brota da Fonte do eterno amor que jamais se esgota.

         Bebei, bebei e lavai os vossos lábios, os vossos lábios ressequidos sem amor, sedentos de paz, de felicidade, de esperança e esta água tornará novamente as vossas almas cheias de fé, esperança, amor, paz e alegria. E com esta paz e esta alegria, com esta fé e esperança, vós sereis capazes de mudar não somente as vossas vidas, mas também as vidas de todos os vossos irmãos, do mundo inteiro!

         Vinde beber à Fonte da vida, que Aqui neste Lugar sagrado a VIRGEM MARIA abriu para vós e que jorra há tantos anos a água, a água que brota do Trono do Cordeiro, do Trono da Graça. Cada um de vós poderá beber, poderá levar e tomar desta água o quanto quiser, na há limite, vós bebereis o quanto vós quiserdes e o quanto vós fordes capazes de beber. Esta água vos é dada com sumo amor e caridade, por isso a ninguém jamais foi negada, a ninguém jamais será negada, nem de ninguém jamais será confiscada.

         Vós, estendei as mãos, bebei, bebei largamente desta água que jorra para vós dando-vos sempre mais a graça do alto, tornando-vos sempre mais fortes para combaterdes as forças do mal e cumprirdes a vossa missão aqui na Terra.

         Vinde beber às fontes da vida, às fontes que jorram do Trono do Senhor, onde as vossas almas conhecerão um pouco daquela alegria, daquela felicidade, daquele amor e daquela vida divina que Nós os bem aventurados gozamos e temos no Paraíso. E vós já na Terra em carne mortal, podereis exultar de alegria em Deus, podereis cantar os Seus louvores e transformar mesmo a vossa vida num hino vibrante de amor, que toda a criatura poderá ouvir, poderá compreender. E então, convosco poderão também entoar para maior glória do Senhor, da Virgem Santa, e para maior Triunfo da verdade.

         Eu, FELICIDADE, estou convosco todos os dias, acompanho-vos no vosso peregrinar na Terra, ajudo-vos sempre mais a servirdes com prontidão, perfeição e exatidão à Virgem Santíssima.

         Estou sempre atenta às vossas necessidades, vejo já de antemão tudo aquilo que vós precisais, previno-vos também de todas as tentações de Satanás, para ajudar-vos sempre mais a vencê-lo com o vosso não às suas sugestões malignas e com o vosso sim dado sempre mais com amor e generosidade a Deus, à Virgem Santíssima e à vontade Dela.

         Tomo as vossas Mãos cada dia para conduzir-vos pelo caminho da verdade, da graça e da paz, uno a Minha oração com a vossa colhendo as rosas que saem a cada conta do vosso Terço que rezais, para assim, apresentar as vossas rosas mais luminosas, as vossas orações mais intensas, mais profundas, mais confiantes no Trono da Santíssima Trindade e da Mãe de Deus, para alcançar para vós toda a sorte de graças.

         Cubro-vos com o Meu Manto de Luz para vos esconder dos olhos malignos de Satanás, de modo que ele não vos possa ver, não vos possa ferir, não vos possa derrubar. Cubro–vos sempre mais com Meu Manto de Luz, para defender-vos de toda a sorte de ataque de Satanás.

         Nos momentos de sofrimento estou mais perto de vós do que nunca, por isso, lembrai-vos de Mim para que vós não caiais na tristeza, nem no desespero. Chamai por Mim e Eu virei imediatamente consolar-vos e confortar-vos e pouco a pouco vos conduzirei à solução de todos os vossos problemas e sofrimentos e à vitória.

         Não duvideis nunca, Eu vos amo com o amor divino e sobrenatural! E por isso desejo, desejo imensamente conduzir-vos ao Céu onde podereis ser felizes ao Meu lado para sempre cantando os louvores do Senhor.

         Por isso vinde a Mim, em todas as vossas necessidades, sofrimentos e aflições. Vinde a Mim, sobretudo, para que Eu vos ensine a verdadeira santidade. Vinde a Mim para que Eu vos dê sempre mais a beber da Água da Graça, da Fonte da Vida, da qual tanto vos falei nesta Minha primeira Mensagem Aqui. Aquele que Me pedir da Água da Fonte da Vida, da Água da Graça Eu lhe darei abundantemente e sem reservas.

         Vinde a Mim, com os cântaros, com os jarros das vossas orações cheias de fé, de amor e de esperança e Eu vos darei ilimitadamente a beber da água da vida da qual Eu Sou plenamente saciada.

         A todos neste momento, abençoo com amor e com generosidade, dando-vos todas as graças copiosas que o Altíssimo neste dia Me concedeu para derramar sobre vós.”


23 de novembro

Santa Felicidade e sete irmãos

Não há muitas informações sobre a vida anterior ao martírio de Felicidade e dos sete irmãos. Eles viveram nos tempos do imperador Antonino e foram presos e mortos todos juntos no ano 165, em Roma. 

Há dúvidas, até, de se os sete jovens seriam realmente todos irmãos e ainda, em sendo irmãos, se a mulher presa e morta ao lado deles seria mesmo a mãe deles. Entretanto são os dados registrados nas "Atas" sobre este martírio coletivo. 

Também este não teria sido o único caso de uma mãe que recebeu a pena capital juntamente com os filhos. Há, por exemplo, o caso dos "sete irmãos Macabeus", de que fala a Sagrada Escritura no capítulo sete do segundo livro dos Macabeus. 

Além disso, quanto a esta mártir, consta que o próprio papa são Gregório Magno teria encontrado uma gravura mural que representava esta mãe, de nome Felicidade, rodeada por sete jovens, numa das catacumbas de Roma. 

A tradição diz que Felicidade era uma rica viúva que foi acusada de ser cristã pelos sacerdotes pagãos ao imperador. Públio, prefeito de Roma, ficou encarregado do seu julgamento. Começou o interrogatório somente com ela, todavia não obteve resultado algum. No dia seguinte, mandou conduzir a mãe e os sete filhos para adorarem os deuses. Mas Felicidade exortou os filhos a que não fraquejassem na fé. O juiz, então, condenou mãe e filhos à morte. 

Através das "Atas" podemos saber todos os seus nomes e a forma de martírio de cada um. Nela, eles estão citados como "os sete irmãos mártires": Januário, Félix, Filipe, Silvano, Alexandre, Vidal e Marcial. 

Januário, após ser açoitado com varas e ter padecido no cárcere, foi morto com flagelos chumbados. Félix e Filipe foram espancados e mortos a cacetadas. Silvano foi jogado num precipício. Alexandre, Vidal e Marcial foram decapitados. 

Apesar de saberem que sofreriam muito antes de morrer, todos mantiveram a firmeza na fé e não renegaram o Cristo. A última a morrer, por decapitação foi Felicidade, que sofreu muitas torturas até a execução no dia 23 de novembro. A tradição cristã reverência todos estes santos mártires na mesma data.

O Martírio de Santas Perpétua e Felicidade


No ano de 202, o imperador Severo mandou que aqueles que seguissem sendo cristãos e não quisessem adorar aos deuses romanos deveriam morrer. Perpétua estava celebrando uma reunião religiosa em sua casa quando chegou a polícia do imperador e a levou presa, junto com sua escrava Felicidade, e os escravos Revocato, Saturnino e Segundo.

Diz Perpétua em seu diário: "Nos colocaram no cárcere e fiquei consternada porque nunca havia estado em local tão escuro. O calor era insuportável e havia muitas pessoas em um subterrâneo muito estreito. Parecia que morreria de calor e asfixia, mas sofria muito mais por não poder estar junto de meu filho, que tinha tão poucos meses e muito necessitava de mim. O que mais pedia a Deus era que nos desse grande virtude para sermos capazes de sofrer e lutar por nossa santa religião".

No dia seguinte chegaram alguns diáconos católicos e deram dinheiro aos carcereiros para que passassem os presos a outra cela, menos sufocante e escura. Foram levados a um local onde entrava um raio de sol e não ficaram tão incômodos. Também permitiram que levassem o filho de Perpétua, que estava se deixando morrer. Ela disse em seu diário: "Desde que tive meu filho em minhas mãos, aquele cárcere me pareceu um palácio e sentia-me plena de alegria. E a criança também retomou a alegria e vigor". As tias e a avó encarregaram-se depois da criança e sua educação.

O chefe do governo de Cártago chamou a juízo Perpétua e seus servidores. Na noite anterior Perpétua teve uma visão na qual lhe foi dito que teriam que subir uma escada cheia de sofrimentos, mas que ao final de tão dolorosa subida, o Paraíso Eterno as esperava. Ela narrou a seus companheiros a visão e todos se entusiasmaram e se propuseram permanecer fiéis à Igreja até o fim.

Primeiro foram chamados os escravos e o diácono. Todos proclamaram ante as autoridades que eram cristãos e preferiam morrer antes que adorar a falsos deuses.

Logo chamaram a Perpétua. O juiz lhe pedia que deixasse a religião de Cristo e passasse a religião pagã, que assim salvaria sua vida. E lhe recordava que era mulher muito jovem e de família rica. Porém Perpétua proclamou que estava decidida a ser fiel a Jesus Cristo até a morte. Neste momento, trouxeram seu pai, o único na família que não era cristão, e ajoelhado ele e suplicou que não persistisse em chamar-se cristã, que aceitasse a religião do imperador, que o fizesse por amor a seu pai e seu filhinho. Ela se comoveu imensamente, mas terminou dizendo-lhe: "Pai, como se chamada este objeto a sua frente?". "Uma bandeja, minha filha.", respondeu ele. "Pois bem, a esta bandeja há de chamar-se bandeja, porque é uma bandeja. E sou cristã, não posso me chamar pagã, porque sou cristã e quero sê-lo para sempre." E acrescentou em seu diário: "Meu pai era o único na família que não se alegrava porque nós seríamos mártires em Cristo".

O juiz decretou que os três homens deveriam ser levados ao circo e ali, em frente à multidão, seriam destroçados por feras no dia da festa do imperador; e que as mulheres seriam amarradas frente a uma vaca furiosa. Porém, havia um inconveniente: Felicidade estava grávida e a lei proibia matar a quem estava por dar à luz. E ela desejava ser martirizada por amor a Cristo. Então os cristãos oraram com fé e Felicidade deu a luz a uma linda menina, que foi confiada as mulheres cristãs, e assim Felicidade pode ser martirizada. Um carcereiro fazia pouco caso dela, dizendo-lhe: "Agora te queixas das dores do parto, como farás frente às dores do martírio? " Ele lhe respondeu: "Agora sou fraca porque sofro por minha natureza. Porém, quando chegar o martírio, me acompanhará a graça de Deus, que me encherá de fortaleza.".

Aos condenados à morte permitia-se fazer uma ceia de despedida. Perpétua e seus companheiros organizaram uma ceia eucarística  Dois santos diáconos lhes levaram a comunhão, e depois de orar e animar-se uns aos outros, abraçaram-se e despediram com o ósculo da paz. Todos estavam animados, alegremente bem dispostos a entregarem a vida por proclamar a fé em Jesus Cristo.

Antes de levarem-nos ao circo, os soldados queriam que os homens vestissem como sacerdotes dos falsos deuses e as mulheres como sacerdotisas pagãs. Porém Perpétua se opôs e ninguém conseguiu lhes vestir aquelas roupas.

Os escravos foram jogados às feras, que os destroçaram e eles derramaram assim valentemente seu sangue por nossa religião.

O Diácono Saturo conseguiu converter um dos carcereiros, chamado Pudente, ao Cristianismo. Disse-lhe: "Para que vejas que Cristo é Deus, te anuncio que colocaram frente a um urso feroz, mas esta fera não me fará nenhum mal." E assim aconteceu: lhe amarraram e colocaram em frente à jaula de um urso muito agressivo. O animal feroz não lhe fez nenhum mal, e ainda deu uma tremenda dentada no seu tratador, que o atiçava contra o santo diácono. Então soltaram a um leopardo, que com uma dentada destroçou Saturo  Quando o diácono estava moribundo, molhou com seu sangue um anel, colocou-o no dedo de Pudente, que então aceitou definitivamente converter-se ao Cristianismo.

A Perpétua e Felicidade amarram com arame, colocaram-nas no centro e soltaram uma vaca bravíssima, que as atacou sem misericórdia. Perpétua unicamente se preocupava em ir-se cobrindo, com os restos de tecido que sobravam, para que não desse espetáculo por estar desnuda. Ajeitava os cabelos, para que não parecesse uma pagã chorona. O povo emocionado, ao ver a valentia das jovens mães, pediu que as retirassem pela porta onde saiam os gladiadores vitoriosos. Perpétua, então saiu de seu êxtase, e perguntou onde estava a tal vaca que lhes atacaria.

Mas logo após o povo cruel pediu que as trouxessem para lhes cortar a cabeça em frente a todos. Ao saber desta notícia, as jovens abraçaram-se emocionadas e retornaram a praça. A Felicidade cortaram a cabeça com um golpe de machado, Porém o verdugo que deveria matar Perpétua estava muito nervosos e errou o primeiro golpe. Ela deu um grito de dor, porém posicionou melhor a cabeça para facilitar o trabalho do verdugo e lhe indicou onde veria atingi-la. Assim, esta mulher corajosa mostrou até o último instante que morria mártir por sua própria vontade e com toda generosidade.


TEL: (0XX12) 9701-2427

CANAIS DE DIVULGAÇÃO:



IRMÃOS, ACOMPANHEM OS VÍDEOS NOS CANAIS DE DIVULGAÇÃO DO YOUTUBE:

Youtube Avisos do Céu


Desde o dia 7 de fevereiro de 1991, há 21 anos, Nosso Senhor Jesus Cristo, Maria Santíssima, São José, o Divino Espírito Santo, os Anjos e os Santos, vem aparecendo diariamente em Jacareí, São Paulo, Brasil, às 18:30hs (hora de Brasília). Ela se apresenta como Rainha e Mensageira da Paz e faz um último apelo à conversão, através de um jovem: Marcos Tadeu, que no início das Aparições tinha 13 anos apenas. São as mais intensas Aparições da história de nosso país, e Maria Santíssima diz que são as últimas Aparições para a Humanidade. A Mãe de Deus pediu que fosse feita todos os dias, às oito horas da noite, a Santa Hora da Paz a fim de que as famílias se convertam e o mundo tenha Paz. Ela prometeu a Sua proteção às famílias que a fizerem todos os dias. Nossa Senhora diz que as Aparições de Jacareí e a de Medjugorje (ex-Iugoslavia) são a continuação e a CONCLUSÃO de Fátima.


22 DE NOVEMBRO DIA DE SANTA CECÍLIA - MEDITEMOS: 20.05.2007-MENSAGEM DE SANTA CECÍLIA-COMUNICADA AO VIDENTE MARCOS TADEU TEIXEIRA-SANTUÁRIO DAS APARIÇÕES DE JACAREÍ – SP – BRASIL


  



22 DE NOVEMBRO DIA DE SANTA CECÍLIA
 
JACAREÍ, 20 DE MAIO DE 2007
SANTUÁRIO DAS APARIÇÕES DE JACAREÍ – SP – BRASIL
MENSAGEM DE SANTA CECÍLIA
COMUNICADA AO VIDENTE MARCOS TADEU TEIXEIRA




http://gloria.tv/?media=362413

 
Jacareí, 20 de maio de 2007
MENSAGEM DE SANTA CECÍLIA

         "-Marcos, Eu sou CECÍLIA, serva de Deus, serva de Maria Santíssima, serva de Santa Ana, serva do Espírito Santo. Eu sou a serva dos servos do Senhor e venho hoje também para vos abençoar e para vos dizer:
Sede fiéis! Sede santos! Cumpri e obedecei todas as Mensagens que Aqui vos foram dadas para que possais ser dignos e merecer a vida eterna.

         Vede, vede irmãos Meus, o quanto é grande a recompensa do Senhor, pelo curto tempo de vida nesta terra em que a FÉ é provada, em que o AMOR é provado. Se vós fordes fiéis a Deus, se vós amardes a Deus com o Coração puro e sincero pelo pequeno espaço desta vida! Vós merecereis uma coroa incorruptível que jamais vos será roubada, nem pelo demônio, nem pelo mundo, nem pela carne humana, nem por nada.

         A vossa coroa já está sendo preparada no céu! Cuidai de não perdê-la pelo pecado. Cuidai de não perdê-la pela desobediência a Mãe de DEUS.
Não vedes que a desobediência à Mãe de Deus nas Suas Aparições atuais é o câncer do mundo? E que todos os castigos e males atuais são consequências desta desobediência, que já vem desde 180 anos atrás agravando-se e crescendo mais?
         Até quando continuareis a maltratar e a fazer sofrer assim a Mãe de Deus? Será que até vós os que se dizeis filhos Dela e que dizeis que Ela é vossa Mãe, será que até vós repetireis o pecado dos maus e torturareis ainda mais a Mãe de Nosso Senhor?

         Será que nem mesmo vós vos compadecereis e tereis piedade Dela? Oh não! Que comece de vós a grande conversão! Que comece de vós a grande transformação! Transformai-vos em Anjos obedientes, dóceis e santos que A amam, que A louvam, que A querem, que A obedecem, que A agradam, que Lhe dão contentamento e satisfação!

         Eu estou aqui convosco para ajudar-vos nesta santa tarefa que não é fácil!... Mas com a Minha ajuda e a de todos os Santos que aqui já vieram e que estão no Céu, será possível para vós! Será possível!

         EU VOS GARANTO QUE TODO AQUELE QUE OBEDECER ÀS MENSAGENS DA MÃE DE DEUS NÃO PERECERÁ! OH NÃO! NÃO PERECERÁ! NÃO PERECERÁ!

         Eu vos digo, se houvessem Aparições Dela na época em que EU vivi, na época do império romano, todos teriam se convertido mais depressa e o mundo teria sido um Paraíso, oh sim! Mas Nosso Senhor tem seus desígnios e Ele reservou para este tempo as APARIÇÕES multiplicadas da VIRGEM SANTÍSSIMA na Terra. E vós, que frutos apresentais? E vós, que frutos destes até agora? Correspondestes a tanto amor? Correspondestes a tanta graça? Correspondestes a tanta benevolência do Altíssimo e da Mãe de Deus por vós? Se não, falta pouco tempo, ainda resta um tempo. Regressai! Voltai! Transformai-vos e dai os frutos das Mensagens da Mãe de Deus, dos Sagrados Corações. Com estes frutos muitas almas se salvarão e se saciarão da fome espiritual que sentem e então viverão. Pois o fruto destas Mensagens não acaba nesta vida, mas dura para vida eterna. Oh sim! Se vós derdes destes frutos, bem depressa o Reino de Maria virá ao mundo e logo depois dele o Reino de JESUS.

         Eu estarei convosco! Eu abençoarei a vossa voz! Eu sou a protetora da voz! Eu abençoarei a vossa voz para que ela seja completamente ungida pelo Espírito Santo e as almas não poderão resistir as vossas palavras repletas de unção quando vos anunciardes não as vossas Mensagens, mas as Mensagens da Mãe de Deus, as Mensagens dos Sagrados Corações. EIS PORQUE A PREGAÇÃO NÃO TEM EFEITO, OS HOMENS PREGAM A SUA OPINIÃO, A SUA VONTADE, NÃO PREGAM A PALAVRA DA MÃE DE DEUS. SE ISSO FOSSE FEITO, O MUNDO JÁ ESTARIA EM GRANDE SANTIDADE.

         Mas ainda é tempo! Saí! Combatei apóstolos da luz! Levai a todos a luz do Coração Imaculado de Maria, para que então as trevas sejam vencidas pela luz e triunfe o Coração de Maria, o Coração de Jesus, o Coração de José, o Coração de Deus...

         Estou convosco sempre! Rezai-Me! Falai comigo! chamai-Me nos momentos de dúvida e sofrimento e Eu vos esclarecerei e vos digo: Quem se entregar a Mim, quem der a mão para mim não cairá e mesmo se cair não ficará caído. Há de levantar-se! Há de continuar a corrida e há de alcançar o prêmio da vitória...
         A todos dou a Paz. A Paz Marcos, amo-te. A Paz, fica em Mim, descansa no Meu Amor. A Paz..."


Desde o dia 7 de fevereiro de 1991, há 20 anos, Nosso Senhor Jesus Cristo, Maria Santíssima, São José , o Divino Espírito Santo, os Anjos e os Santos, vem aparecendo diariamente em Jacareí, São Paulo, Brasil, às 18:30hs (hora de Brasília). Ela se apresenta como Rainha e Mensageira da Paz e faz um último apelo à conversão, através de um jovem: Marcos Tadeu, que no início das Aparições tinha 13 anos apenas. São as mais intensas Aparições da história de nosso país, e Maria Santíssima diz que são as últimas Aparições para a Humanidade. A Mãe de Deus pediu que fosse feita todos os dias, às oito horas da noite, a Santa Hora da Paz a fim de que as famílias se convertam e o mundo tenha Paz. Ela prometeu a Sua proteção às famílias que a fizerem todos os dias. Nossa Senhora diz que as Aparições de Jacareí e a de Medjugorje (ex-Iugoslavia) são a continuação e a CONCLUSÃO de Fátima.


FILMES DA HISTÓRIA DAS APARIÇÕES DE JACAREÍ:
http://gloria.tv/?media=130635

VIDA DE SANTA CECÍLIA -22 DE NOVEMBRO-DIA DE SANTA CECÍLIA


Afinal, quem era Cecília?

Uma virgem e mártir que tem sua festa celebrada pela Igreja no dia 22 de novembro e que nasceu no início do século III. Seus pais eram cristãos e pertenciam a uma das mais gloriosas e ilustres famílias da Romanas. Ainda criança ela foi entregue a uma dama de companhia que também era cristã. Esse foi, certamente, um ato inspirado por Deus. Foi essa boa aia quem esforçou-se ao máximo para que a menina conhecesse e amasse Nosso Senhor Jesus Cristo e pudesse assim caminhar no amor e prática das virtudes cristãs. Cecília sempre mostrou boa educação e boa formação nas coisas do mundo. Mais que isso, graças à educação que a aia lhe deu, a vida de Cecília tornou-se exemplo da formação cristã que se deve dar a uma pessoa. Bem cedo Cecília cultivou o gosto pela contemplação das belezas naturais criadas por Deus e colocadas pelo Criador à disposição dos homens. Na contemplação do belo das criaturas, ela encontrou um modo de conhecer Deus. Maravilhada, a menina exclamava: - Oh! Quão grande e bom é o Senhor! Quero amá-lo sempre. Quero amá-lo, muito!... A aia de Cecília conhecia as Sagradas Escrituras e lhe contava fatos da História Sagrada. O que mais agradava Cecília eram os trechos sobre a vida de Jesus. A descrição dos padecimentos de Nosso Senhor em sua Paixão, sua morte na Cruz, levavam a atenta ouvinte a apiedar-se do Divino Salvador. Seu coração enchia-se de amor para com Ele e em seu espírito crescia a intenção de não ofender a Deus e consagrar a Ele toda sua vida. A aia ensinou-lhe a amar o próximo por amor de Deus. Por isso em sua alma floresceu um grande amor aos pobres. Neles ela via a imagem de Nosso Senhor Jesus Cristo sofredor, pobre e necessitado. Ela abrandava os sofrimentos e acalmava as dores dos servos, escravos e mendigos. Junto com a ajuda material, ela lhes ensinava a prática da vida e da piedade cristãs. Assim transformou-se numa verdadeira apostola do Evangelho.

O encontro com Jesus


O amor a Jesus Sacramentado germinou e cresceu no coração de Cecília. O mundo com suas ilusões e fantasias não a atraia. Ela tinha um único desejo: unir-se a Jesus sacramentado! Ela desafogava seu coração estando recolhida, longe dos atrativos mundanos. A oração era o modo que ela tinha de falar com Jesus. Orando ela exprimia seu desejo de recebê-Lo e fazer d'Ele seu alimento espiritual, sua força na caminhada. Jesus ouviu as preces de Cecília. Ela assistia nas catacumbas de Roma os divinos mistérios. O Pontífice Urbano, tendo nas mãos o Pão Eucarístico, aproxima-se dela. Cecília ajoelha-se aos pés do Papa e recebe pela primeira vez a Santa Comunhão. Nessa hora, adorando Jesus em seu coração, a jovem renovou o propósito de consagrar-se ao serviço de Deus e tornar-se para sempre sua esposa. Cecília sempre teve o desejo de oferecer sua virgindade a Deus. Ocultamente ela procurou o Santo Pontífice e, depois de lhe contar que desde criança havia se consagrado a Jesus, suplicou-lhe que aceitasse seu voto de virgindade. Santa Cecília foi favorecida por Deus com a presença de um Anjo que a defendia dos perigos Sua pouca idade e o fato de ser filha única de nobres e ricos senhores, levou o Pontífice Urbano a dar-lhe, prudencialmente, uma resposta negativa. Cecília não se rendeu, conservando-se firme em seu desejo. Sua sinceridade levou o Pontífice a dar-lhe consentimento. Para evitar qualquer oposição por parte dos parentes, a cerimonia de recepção de seus votos não foi pública. Orfandade, Sofrimento e Proteção Angélica Para Cecília não faltaram dores, sofrimentos e cruzes. A morte dos pais foi uma de suas grandes dores. Sobretudo por causa das consequências que ausência deles lhes trouxe. Mas ela aceitou esses padecimentos com grande resignação. Após a morte dos pais Cecília ficou sob a tutela de um parente que era pagão. Ele acreditava que lhe oferecendo distrações e divertimentos mundanos diminuiria o sofrimento da jovem. Mas, isso não agradava e nem trazia alegria a Cecília que amava a pureza, a solidão e a prece. Ela fugia dos insistentes convites que lhe eram feitos, pois, temia que as distrações da frívola juventude romana, muitas vezes pecaminosas, prejudicassem sua alma inocente. Para que não caísse nas ciladas aprontadas por seu tutor e para ter forças na luta contra o demônio que a tentava, ela fazia jejuns e penitências e trazia sempre sobre seu peito os Santos Evangelhos. Mesmo com o perigo de ser presa, frequentava as catacumbas e lá encontrava paz. Muitas vezes, em companhia da aia, nelas passava a noite inteira, assistia ao serviço divino e rezava fervorosamente a Maria, Rainha das Virgens, a quem pedia o amor de Jesus, único Senhor de seu coração. Cecília foi favorecida por Deus com a presença de um Anjo que a defendia dos perigos e que frequentemente aparecia e lhe orientava.

Valeriano

Cecília foi obrigada a estar em uma das festas realizadas por seu tutor. Ali estava Valeriano, um dos mais nobres e elegantes jovens de Roma, cuja família se vangloriava de ter antiga ligação com a família da jovem. A beleza, a modéstia, bem como a postura e pureza de Cecília não passaram desapercebidas por ele. Valeriano, que não conhecia o segredo da modéstia cristã da virgem que se havia prometido como esposa a seu Deus, encantou-se com Cecília. Apaixonou-se por ela e quis, o quanto antes, tê-la como sua esposa. Cecília disse não a Valeriano: desejava somente ser esposa de Cristo! Foi por prudencia que, junto com a negativa do casamento, ela não se declarou cristã. Essa declaração poderia custar-lhe a vida. Ocultamente, Cecília procurou Santo Pontífice e narrou-lhe o que estava acontecendo e reafirmou que preferia a morte a faltar o juramento de amor que havia feito a Jesus. Urbano, procurou consolá-la dizendo-lhe: - Tem confiança, minha filha, se teu celeste Esposo te quiser em seu serviço, ninguém vai tirar-te d'Ele. As orações desta noite serão para que o Senhor nos ilumine. Fica em paz. Deixemos as decisões para depois da celebração dos divinos mistérios. Terminados os ritos sagrados, todos os fiéis deixaram as catacumbas. Só Cecília ficou lá. Urbano chamou-a e, com afeto paternal, disse: - Filha, sê forte e perseverante. Se fores obrigada pelas circunstancias a unir-se a Valeriano, inclina a cabeça e adora os desígnios insondáveis da Divina Providência. Deus terá sobre ti outro desígnio: a conversão de Valeriano a nossa santa religião. Para a proteção de tua virgindade, confia Naquele que, por amor desta virtude, quis nascer de uma Mãe Virgem. A Ele nada é impossível. Vai em paz, confia em Sua bondade e sê prudente.

O consentimento


Passaram-se alguns dias e Cecília não conseguiu fugir de uma nova conversa com seu tutor sobre o pedido de Valeriano. No início da conversa, Cecília demonstrou uma recusa total ao casamento. Os parentes não desistiram de seus propósitos e começaram com as ameaças. Foi então que Cecília, lembrou-se dos conselhos do Pontífice Urbano e aceitou casar-se. Sabendo disso, Valeriano foi imediatamente ao palácio para ter pessoalmente a confirmação e poder combinar o dia da cerimônia. Nos meses que precederam a celebração do matrimônio, Cecília conservou-se, quase sempre, retirada. Saía só para ir nos bairros populares para socorrer os pobres, seus mais queridos amigos. Passava noites inteiras em oração e penitência. Pedia a proteção e a graça que lhe eram necessárias e que estava certa de alcançar, pois já havia começado a ter uma grande paz de alma com a presença constante de seu Anjo da Guarda. »

As bodas


Chegou, afinal, o dia em que os dois jovens se uniriam em matrimonio. O palácio onde morava a jovem católica era um formigar de escravos e donzelas, um fervilhar de ricos e nobres, de amigos e parentes, que iam prestar homenagens e oferecer tributos à presumida felicidade de Cecília. A alma da virgem estava longe dessas manifestações. Ela quase não percebia o que se passava em redor de si. Realizaram-se as cerimônias matrimoniais segundo o ritual da época. O passo estava dado. A virgem de Cristo tornara-se também esposa de Valeriano. Terminada a cerimônia, Cecília foi conduzida à sala do banquete. Foi recebida com clamorosos aplausos e cânticos. Cecília, porém, elevava a alma a Deus e repetia em seu coração: - "Senhor, que sejam sempre imaculados meu corpo e meu coração; protege tua serva para que não seja confundida". Esposa Apóstolo Terminado o suntuoso banquete, Cecília foi levada por algumas matronas à câmara nupcial. Ali ela deveria esperar Valeriano para a noite de núpcias. Apenas ele entrou no quarto correu para abraçá-la exclamando: - Oh! dia feliz.... Cecília recuou um passo e disse: - Não me toques, Valeriano. O jovem ficou atônito e despeitado com a repulsa. - Não te ofendas, meu querido, mas escuta-me, pois que tenho a dizer-te um segredo... - Não temas, Cecília, qualquer que seja ele, jamais ente humano o saberá. "Conservai essas coroas com a pureza de vossos corações e santidade de vossos corpos" - disse o anjo aos esposos Cecília e Valeriano - Para satisfazer meus parentes, fui obrigada a unir-me a ti. Serei a companheira mais fiel e amorosa de tua vida, mas teremos de viver como se fôssemos irmãos. E a razão é que, desde ainda criança consagrei meu corpo a alguém que não é deste mundo. Alguém que sempre me amou, e, para confirmar disso, mandou um Anjo para me guardar. Ora, se o Anjo vir que não me respeitas, ficará irado e vingar-se-á tremendamente. Ouvindo estas palavras, Valeriano, agitado de violentas paixões, exclamou: - Oh! Cecília, traíste-me. Não me amas e a outro estás ligada! - Não querido, não me entendeste. Não te perturbes. Escuta e compreenderás. Amo-te e muito, com um amor que não acaba com morte. Um amor que durará e será mais sublime ainda na eternidade. Consagrei-me a alguém que não é um simples mortal. Consagrei-me a Deus que permitirá que eu viva sempre contigo nas condições que já te disse. - Cecília, disse Valeriano, devo acreditar no que me contas? Se isso é verdade, por que esperastes este momento para dizer-me? - Perdoa, Valeriano, se eu tivesse revelado meu segredo, nem tu nem meus parentes o acreditariam e considerando-me louca me teriam declarado a mais cruel das guerras. - Mas qual é este Deus a quem te consagraste e que agora não quer legitimar nossa união? Se é um Deus verdadeiro, como rouba nossa felicidade? - Deus não necessita de nós. Ele é infinitamente bem-aventurado e, se olha a nossa pequenez, é unicamente para o nosso bem, porque Ele nos ama. Ele nos criou, conserva-nos a vida e será, um dia, nosso Juiz. Este é o Deus dos cristãos. - Deus dos cristãos? Você é cristã? Cristãos... esses seres desprezíveis, odiados por todos e contra os quais se tem desencadeado a ira de nossos Imperadores e do povo romano? - De fato, são muitos os nossos inimigos... eles são pobres ignorantes e infelizes. Acredita, Valeriano, tudo quanto dizem a respeito dos cristãos é calunia! - Nós, cristãos, não adoramos os falsos deuses. Deuses que só servem para enganar. Nós desprezamos todos os bens perecíveis, aspiramos ao Céu e nos entregamos à prática das mais altas virtudes. Dito isso, ajoelhou e com os olhos levantados para o Céu exclamou: - Ó Senhor! Até quando durará o reino do espírito do mal? Até quando os homens caminharão entre as trevas do erro, na mentira e na falsidade? - Dizendo essas palavras, seu rosto transfigurou-se. Uma luz sobrenatural a envolveu e sua alma imergiu-se em Deus. Valeriano, quase apavorado, ficou mudo contemplando o êxtase de sua esposa. Sua mente iluminada de dons sobrenaturais, começava a se abrir à verdade e quando Cecília recobrou os sentidos, viu junto a si o esposo, com os olhos cheios de lágrimas. Olharam-se e os olhos da Santa leram o fundo do coração de Valeriano. Uma voz interior lhe assegurava que o esposo havia se convertido. Valeriano, envergonhado com o que havia pensado de sua esposa disse: - Deus de Cecília, eu creio em ti, mas faze com que eu possa ver, ao menos um instante, o Anjo que mandaste para junto de tua e minha esposa. - Ouvindo estas palavras, Cecília exclamou: - Ó Senhor, meu amado! Sê para sempre louvado e eternamente glorificado por teus Anjos! Donde me vem tantas graças? Sê bem vindo em tua serva que humildemente adora os desígnios misteriosos de tua providência! E voltando-se para Valeriano, disse: - Agora, não percamos tempo. Verás meu Anjo, sim! Antes, porém, deves tornar-te digno disso pelo Batismo. Vai e procura na Via Ápia a aldeia de Triopio. Lá encontrarás alguns pobres. Diga a eles que vais em meu nome e que procuras pelo Pontífice Urbano. Serás, então, conduzido até Papa que te acolherá com grande afabilidade e te ensinará as verdades de nossa fé. Depois, volta e verás o Anjo de Deus que me acompanha.


Com um manto, Valeriano, cobriu as vestes nupciais que ainda usava e encaminhou-se para o lugar indicado. Enquanto podia vê-lo, Cecília acompanhou-o com o olhar. Depois retirou-se, continuando suas preces que deveriam levar seu jovem esposo à conversão. Batismo nas Catacumbas Chegando à aldeia de Triopio, Valeriano encontrou-se com os pobres indicados por Cecília. Eles o conduziram pelo labirinto das catacumbas até chegar ao lugar onde estava o santo Pontífice Urbano, que vivia escondido no Cemitério de São Calixto, junto aos sepulcros dos mártires, depois de escapar da perseguição movida contra ele por causa de sua fé católica. Valeriano foi recebido por Urbano que, juntando as mãos, assim rezou: - Senhor, meu Jesus Cristo, tu que inspiras as castas resoluções, recebe agora o fruto da semente divina plantada no coração de Cecília! Por ela, seu esposo Valeriano tornou-se teu servo e abriu os olhos à verdade divina. Agora, ele te reconhece por seu Criador e renuncia, para sempre, o demônio, suas pompas e suas obras. Ele tem firme propósito de Vos adorar e Vos servir por toda a vida. Está pronto a defender com o próprio sangue a Fé que professa. Depois de assim rezar, começou a instruir o jovem catecúmeno sobre os principais mistérios da Fé: a Unidade e Trindade de Deus, a Encarnação, Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo. Santa Cecília é conhecida no mundo inteiro como padroeira dos músicos Enquanto Urbano falava dos augustos mistérios, subitamente, apareceu uma luz brilhante junto deles. No meio dela estava a figura de um respeitável ancião que trazia nas mãos um livro escrito com letras de ouro. Era o Apóstolo São Paulo que dizia a Valeriano: - Lê e crê. Só então merecerás ser purificado nas águas do batismo e, então, contemplar o Anjo de que te falou Cecília. - Valeriano leu: - Um só Senhor, uma só fé, um só Deus, Pai de todos, superior a todos, que está em todas as coisas, especialmente em todos nós. - Crês em tudo isto? Perguntou o Apóstolo. - Sim, creio! , Responde Valeriano. Após essa profissão de fé, Paulo desapareceu. Urbano tomou a água e derramando-a sobre a cabeça do neófito, dizendo: - Valeriano, eu te batizo, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Vestindo-o depois com uma túnica branca, despediu-se dizendo: - Vai e mostra-te a Cecília, que completará a obra por Deus reservada para ti.

A Promessa do Anjo


Valeriano partiu com a alma serena e a paz no coração. Chegando em casa, encontrou Cecília de joelhos, em oração. Junto dela estava o Anjo do Senhor. Tinha nas mãos duas coroas de rosas e lírios. O Anjo que guardava a virgem colocou as sobre as cabeças dos esposos e lhes disse: - Conservai essas coroas com a pureza de vossos corações e santidade de vossos corpos. Tu, Valeriano, por teres compreendido as puras aspirações de Cecília, serás ouvido, qualquer que seja a graça que pedires a Deus. - Oh! Anjo bendito, um só será meu pedido: suplicar a Cristo que salve também meu irmão e nos torne ambos perfeitos cristãos e que confessemos seu Santo nome. - Não só teu irmão vai converter-se, como também ambos, junto com Cecília, serão martirizados e acolhidos no Céu.

 Livres da escravidão dos sentidos, Cecília e Valeriano inflamaram-se no amor de Deus. O vínculo que os ligava era fonte de entusiasmo para muitos de sua estirpe. Tibúrcio, fruto do apostolado de Cecília floresceu e tornou-se exemplo de vida para os seus companheiros de corte. Tais exemplos ainda gerariam muitos outros filhos para a Igreja Católica nascente. Muitas almas ainda foram por isso atraídas para Jesus Cristo. Tal testemunho de Fé e apostolado não poderia deixar de ser notado pelo ódio dos pagãos que se encontravam petrificados no mal. Sobre Cecília, Valério e Tibúrcio, logo caíram o ódio e a perseguição dos pagãos. Foram terríveis. Confirmaram, porém, o que já lhes tinha sido predito: os três receberiam a palma do martírio e logo voariam para Deus.

O exemplo de Valeriano, é imitado posteriormente por seu irmão Tibúrcio. Ambos, juntamente com Máximo, convertido por eles, são martirizados em Roma sob o governo do prefeito Túrcio Almáquio.

Pouco depois também Cecília é citada ao tribunal de Almáquio, por ser cristã.
Almáquio é um prefeito poderoso da Roma antiga. Mas, ele está inseguro, tem dúvidas... Santa Cecília desde cedo converteu-se ao cristianismo, assistia diariamente a Santa Missa, era dotada de um enorme dom para música. - Como executar essa jovem cristã? Ela não pode morrer pela espada... Seria perigoso. Será que... De repente, bruscamente, o prefeito ordena que a jovem seja levada até o palácio imperial. Ele decidiu: - Cecilia será morta no calidário. Ela será colocada numa sala asfixiante, totalmente fechada, abafada com vapores quentes e pestilentos. Cecília foi deixada lá, sozinha. Em seu rosto, porém, não se via marcas de abatimento e tristeza. Parecia ter a alma cheia de alegria. Pedia, continuamente, que Deus a levasse logo para o Céu. A tal ponto Cecília tinha seu pensamento posto em Deus que nem percebeu que seu suplício já tinha sido iniciado. Ela foi castigada no calidário ao longo de um dia e uma noite. Tudo isso foi inútil. Quando os carrascos abriram a câmara de tortura com a certeza de poderem retirar de seu interior o cadáver de Cecília, encontraram-na ajoelhada, sorridente e circundada de ar puro e fresco. Cheios de temor, apavorados, eles correram até Almáquio para contar-lhe o que acontecera. Ouvindo a narração dos algozes, o prefeito ficou hirto, petrificado. Tomado de ódio e furor insano, ordenou que um guarda decapitasse imediatamente a jovem, na mesma sala em que estava sendo torturada. Cecília sorriu de alegria quando apareceu diante dela o novo carrasco. Ajoelhou-se e espontaneamente apresentou o pescoço a ele. Era uma audácia. Uma tão inesperada ousadia que o homem sentiu-se abalado e faltou-lhe coragem para executar a sentença.

Para não parecer fraco, conteve seu medo e, desesperadamente, por três vezes, golpeou o pescoço da valente virgem cristã. Cecília caiu. Seus braços estavam cruzados sobre o peito. Sua cabeça, inexplicavelmente, continuava unida ao corpo. A lei romana proibia insistir no suplício depois do terceiro golpe. Sem saber o que fazer, o carrasco jogou a espada no chão e fugiu apavorado. A multidão que aguardava os acontecimentos do lado de fora da sala de suplicio avançou porta adentro afim de venerar aquela que seria a mais nova mártir cristã. O martírio de Santa Cecília Todos ficaram pasmos: Cecília ainda vivia! Estava caída sobre seu lado direito e seu pescoço apresentava um ferimento profundo de onde ainda corria sangue. As donzelas mais íntimas da Santa, com todo respeito, colheram em panos de linho branco o sangue escorrido.


Outros cristãos apressaram-se para comunicar o fato ao Papa. Inúmeras dificuldades fizeram com que o Sumo Pontífice Urbano só pudesse chegar ali depois de três dias. Continuando na mesma posição, Cecília aproveitava o tempo de vida que tinha para anunciar e testemunhar a verdade do Evangelho para os que dela se aproximavam. Vários pagãos foram tocados pela graça e se converteram. Finalmente o Papa Urbano chegou trazendo para a mártir os últimos confortos e os sacramentos da Igreja Católica. Não dá para descrever o fervor de Cecília ao receber a Unção dos enfermos e comungar pela última vez! Ela que amava tanto a Jesus e que a Ele entregara sua vida, contemplava e adorava o Salvador em seu coração. A determinado momento fez um sinal pedindo ao Pontífice que se aproximasse dela e disse-lhe: - Santo Padre, peço poder manifestar minha última vontade: Desejo que minha casa se transforme em um templo do Deus verdadeiro... Ela já não tinha mais forças para falar. Voltou-se, então, para os que lá estavam e mostrou-lhes o polegar de uma mão e três dedos da outra. Foi o último gesto de sua vida. Com ele Cecília confessava publicamente sua Fé: Deus é Uno e Trino. Creio na Unidade e Trindade de Deus. Ainda tentou envolver-se com suas vestes, estendeu os braços junto ao corpo, inclinou a cabeça e expirou. O corpo de Cecília foi piedosamente depositado em um caixão e conduzido até a catacumba de São Calixto. O próprio Pontífice Urbano colocou o esquife junto ao túmulo dos Papas e fechou-o com uma pedra de mármore. Era o ano 232. Esta é a história de Cecília, nobre, esposa, virgem e mártir. Uma donzela frágil que a fortaleza de sua Fé fez abalar os poderosos do Império Romano e cujo sangue, foi verdadeiramente, "semente de novos cristãos".


O seu corpo foi enterrado nas catacumbas romanas. Mais tarde, devido às sucessivas invasões ocorridas em Roma, as relíquias de vários mártires sepultadas lá foram trasladadas para inúmeras igrejas. As suas, entretanto, permaneceram perdidas naquelas ruínas por muitos séculos. Mas no terreno do seu antigo palácio foi construída a igreja de Santa Cecília, onde era celebrada a sua memória no dia 22 de novembro já no século VI.

Entre os anos 817 e 824, o papa Pascoal I teve uma visão de santa Cecília e o seu caixão foi encontrado e aberto. E constatou-se, então, que seu corpo permanecera intacto. Depois, foi fechado e colocado numa urna de mármore sob o altar daquela igreja dedicada a ela. Outros séculos se passaram. Em 1559, o cardeal Sfondrati ordenou nova abertura do esquife e viu-se que o corpo permanecia da mesma forma.


SANTA CECÍLIA - PADROEIRA DA MÚSICA E DOS MÚSICOS - 22 DE NOVEMBRO


Santa Cecília é  a padroeira dos músicos pois quando ela estava morrendo, ela cantou a Deus.

Não se tem muitas informações sobre a sua vida.

 É provável que,tenha sido martirizada entre 176 e 180, sob o império de Marco Aurélio.

Escavações arqueológicas não deixam dúvidas, sobre a existência, mas sua história só foi registrada no século V, na narrativa Paixão de Santa Cecília.

 Sua história

Segundo este relato, Cecília seria da "nobre família romana dos Metelos, filha de senador romano e cristã desde a infância".

Os pais de Cecília, "sem que a filha soubesse, prometeram-na em casamento a um jovem patrício romano, chamado Valeriano". 

Se bem que tivesse alegado os motivos que a levavam a não aceitar este contrato, a vontade dos pais se impôs de maneira a tornar-lhe inútil qualquer resistência.


Assim se marcaria o dia do casamento e tudo estava preparado para a grande cerimônia. Da alegria geral que estampava nos rostos de todos, só Cecília,fazia exceção.

 A túnica dourada e alvejante peplo que vestia não deixavam adivinhar que por baixo existia o cilício, e no coração lhe reinasse a tristeza.

Estando só com o noivo, disse-lhe, Cecília com toda a amabilidade e não menos firmeza:

“Valeriano, acho-me sob a proteção direta de um Anjo que me defende e guarda minha virgindade. Não queiras, portanto, fazer coisa alguma contra mim, o que provocaria a ira de Deus contra ti”.

A estas palavras, incompreensíveis para um pagão, Cecília fez seguir a declaração de ser cristã e obrigada por um voto que tinha feito a Deus de guardar a pureza virginal.

Disse-lhe mais: que a fidelidade ao voto trazia a bênção, a violação, porém, o castigo de Deus.

Valeriano,ficou "vivamente impressionado" com as declarações da noiva, respeitou-lhe a virgindade, converteu-se e recebeu o batismo naquela mesma noite.

 Valeriano relatou ao irmão Tibúrcio o que tinha se passado e conseguiu que também ele se tornasse cristão.


Turcius Almachius, prefeito de Roma, "teve conhecimento da conversão do dois irmãos. 

Citou-os perante o tribunal e exigiu peremptoriamente que abandonassem, sob pena de morte, a religião que tinham abraçado.

Diante da recusa formal, foram condenados à morte e decapitados".

Também Cecília, " teve de comparecer na presença do juiz. Antes de mais nada, foi intimada a revelar onde se achavam escondidos os tesouros dos dois sentenciados.

Cecília respondeu-lhe que os sabia bem guardados, sem deixar perceber ao tirano que já tinham achado o destino nas mãos dos pobres. Almachius, mais tarde, cientificado deste fato, enfureceu-se e ordenou que Cecília fosse levada ao templo e obrigada a render homenagens aos deuses.

De fato foi conduzida ao lugar determinado, mas com tanta convicção falou aos soldados da beleza da religião de Cristo que estes se declararam a seu favor, e prometeram abandonar o culto dos deuses."

 "Vendo novamente frustrado seu estratagema, deu ordem para que Cecília fosse trancada na instalação balneária do seu próprio palacete e asfixiada pelos vapores d’água.

 Cecília teria sido então protegida milagrosamente, e embora a temperatura tivesse sido elevada a ponto de tornar-se intolerável, ela nada sofreu".


Segundo outros mitos, a Santa "foi metida em um banho de água fervente do qual teria saído ilesa".
 
Almachius recorreu então à pena capital." Três golpes vibrou o algoz sem conseguir separar a cabeça do tronco.

 Cecília, mortalmente ferida, caiu por terra e ficou três dias nesta posição. 

Aos cristãos que a vinham visitar dava bons e caridosos conselhos.

Ao Papa entregara todos os bens, com o pedido de distribuí-los entre os pobres.

 Outro pedido fora o de transformar a sua casa em igreja, o que se fez logo depois de sua morte".

 Foi enterrada na Catacumba de São Calisto.

As diversas invasões dos godos e lombardos fizeram com que os Papas resolvessem a transladação de muitas relíquias de santos para igrejas de Roma.

O corpo de Santa Cecília ficou muito tempo escondido, sem que lhe soubessem o jazigo.

Uma aparição da Santa ao Papa Pascoal I (817-824) trouxe luz sobre este ponto.

Achou-se o caixão de cipreste que guardava as relíquias.

 O corpo, foi "encontrado intacto e na mesma posição em que tinha sido enterrado".

O esquife foi "achado em um ataúde de mármore e depositado no altar de Santa Cecília". 

Ao lado da Santa acharam seu repouso os corpos de Valeriano, Tibúrcio e Máximo.

Em 1599, por ordem do Cardeal Sfondrati, foi aberto o túmulo de Santa Cecília e o corpo encontrado ainda na mesma posição descrita pelo papa Pascoal.

O escultor Stefano Maderno que assim o viu, reproduziu em finíssimo mármore, em tamanho natural, a sua imagem.


A Igreja ocidental, como a oriental, têm grande veneração pela Mártir, cujo nome figura no cânon da Missa. 

O ofício de sua festa traz como antífona um tópico das atas do martírio de Santa Cecília, as quais afirmam que a Santa, nos festejos do casamento, ouvindo o som dos instrumentos musicais, teria elevado o coração a Deus nestas piedosas aspirações:

“Senhor, guardai sem mancha meu corpo e minha alma, para que não seja confundida”.

Desde o século XV, Santa Cecília é considerada padroeira da música sacra. 

Sua festa é celebrada no dia 22 de Novembro, dia da Música e dos Músicos.


ESTÁTUA DE CECÍLIA NO LOCAL ONDE FOI ENCONTRADA,
NA CATACUMBA DE SÃO CALISTO


UMA DAS EXPLICAÇÕES PARA CECÍLIA SER
 CONSIDERADA PADROEIRA DA MÚSICA
É A POSIÇÃO DE SEUS DEDOS:

OS DEDOS QUE TOCAM PIANO E DEDILHAM A HARPA.

SEGUNDO ALGUMAS LENDAS,
ELA MORREU ASSIM PARA AFIRMAR SUA CRENÇA
NAS TRÊS PESSOAS DIVINAS
DE UM SÓ DEUS, TRÊ DEDOS NUMA MÃO
E UM DEDO EM OUTRA.


MARTÍRIO DE CECÍLIA

BEM CEDO , AO ROMPER DA AURORA,
CECÍLIA FALOU EM VOZ ALTA:
Ó SOLDADOS DE CRISTO JESUS,
DESPOJAI-VOS DAS OBRAS DAS TREVAS,
REVESTI-VOS DAS ARMAS DA LUZ!


Oração a Santa Cecília

Ó Gloriosa Santa Cecília,
apóstola de caridade,
espelho de pureza e modelo de esposa cristã!
Por aquela fé esclarecida,
com que afrontastes
os enganosos deleites do mundo pagão,

alcançai-nos o amoroso conhecimento

das verdades cristãs,

para que conformemos a nossa vida

com a santa lei de Deus e da sua Igreja.

Revesti-nos de inviolável confiança

na misericórdia de Deus,

pelos merecimentos infinitos

de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Dilatai o nosso coração, para que,

abrasados do amor de Deus,

não nos desviemos jamais

da salvação eterna.

Gloriosa Padroeira nossa,

que os vossos exemplos de fé e de virtude

sejam para todos nós um brado de alerta,

para que estejamos sempre atentos à vontade de Deus,

na prosperidade como nas provações,

no caminho do céu e da salvação eterna.

Assim seja.


ESCUTA, Ó FILHA E VÊ;
INCLINA O OUVIDO PORQUE O REI AMA A TUA FORMOSURA.
SL 44,11


LOUVAI O SENHOR COM A CÍTARA, NA HARPA DE DEZ CORDAS SALMODIAI!
CANTAI-LHE UM CÂNTICO NOVO!
SL 32,2.3


Ó DEUS,
 SEDE FAVORÁVEL ÀS NOSSAS SÚPLICAS
 E DIGNAI-VOS ATENDER ÀS NOSSAS PRECES
 PELA INTERCESSÃO DE SANTA CECÍLIA.

POR NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, VOSSO FILHO,
NA UNIDADE DO ESPÍRITO SANTO.
AMÉM


A VIRGEM SANTA CECÍLIA
SEMPRE TRAZIA O EVANGELHO DE JESUS CRISTO
NO CORAÇÃO;
SEMPRE ORAVA, DIA E NOITE,
E COM DEUS FALAVA.


Oração à Santa Cecília

(Padroeira dos músicos e artistas - 22 de novembro)

Ó Virgem e mártir, Santa Cecília, pela fé viva que vos animou, desde a infância, tornando-vos tão agradável a Deus e ao próximo, merecendo a coroa do martírio, convertendo pagãos ao cristianismo, alcançai-nos a graça de progredir cada vez mais na fé e professá-la através do testemunho das boas obras, especialmente servindo aos irmãos necessitados.

Gloriosa Santa Cecília, que os vossos exemplos de fé e virtude sejam para todos nós um brado de alerta, para que estejamos sempre atentos a vontade de Deus, na prosperidade como nas provações, no caminho do céu e da salvação eterna.

Santa Cecília, padroeira dos músicos e artistas, rogai por nós.

Amém.


CANTAI PARA ELE COM ARTE E COM JÚBILO.
SL 32, 3


Ó DEUS,
QUE NOS ALEGRAIS COM A SOLENIDADE ANUAL
DA BEM-AVENTURADA CECÍLIA,
VOSSA VIRGEM E MÁRTIR,
FAZEI QUE, VENERANDO-A COM AS NOSSAS HOMENAGENS,
IMITEMOS O EXEMPLO DA SUA SANTA VIDA.
POR NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.
AMÉM


GLORIFCA O SENHOR, JERUSALÉM!
Ó SIÃO, CANTA LOUVORES AO TEU DEUS!
SL 147, 12


TRANSBORDA UM POEMA DO MEU CORAÇÃO;
VOU CANTAR-VOS, Ó REI, ESTA MINHA CANÇAO;
SL 44, 2


UM CANTO NOVO, MEU DEUS,
VOU CANTAR-VOS,
NAS DEZ CORDAS DA HARPA LOUVAR-VOS.
SL143, 9

ABRI OS MEUS LÁBIOS, Ó SENHOR,
PARA CANTAR,
E MINHA BOCA ANUNCIARÁ VOSSO LOUVOR!
SL 50, 17

Três golpes vibrou o algoz
sem conseguir separar a cabeça do tronco.
Cecília, mortalmente ferida,
caiu por terra e ficou três dias nesta posição.


VALERIANO E TIBÚRCIO VEEM O ANJO DE CECÍLIA

TENHO VALERIANO UM SEGREDO
 QUE TE QUERO REVELAR:
TENHO UM ANJO DE DEUS QUE ME AMA
E QUE GUARDA O MEU CORPO COM GRANDE ZELO.


NÓS VOS SUPLICAMOS , SENHOR,
POR INTERCESSÃO DA BEM-AVENTURADA CECÍLIA,
VOSSA VIRGEM E MÁRTIR,
QUE NOSSAS ORAÇÕES VOS AGRADEM
E NOS TORNEM DIGNOS DA VOSSA MISERICÓRDIA.
POR NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.
AMÉM


Oração do Músico

Senhor Jesus Cristo,
nós , teus servos,
 somos notas diferentes na mesma pauta do Reino de Deus.
 Nós Te Louvamos por este tempo de pausa, de silêncio.
Lembramos que a quietude de Tua mãe, Maria, permitiu que ela respondesse, sim!
E a Canção se fez gente,
 e habitou no meio de nós (Jo 1,14).
 Temos timbres diferentes e exatamente por isso podemos cantar a trinitária harmonia dos acordes da fé, da esperança e do amor.
 Que possamos unir nossas diferenças para que a canção seja mais santa e mais bela. Sabemos que na vida existem acidentes. Mas não nos deixes cair na desafinação.
Que possamos ouvir a voz uns dos outros, seguindo as Tuas orientações e movimentos, nosso maestro maior!
Alerta-nos para que saibamos obedecer os sinais de expressão: Desde o pianíssimo e oculto serviço da composição, até a fortíssima visibilidade de nossa canção nos Meios de Comunicação.
Acima de tudo nós Te pedimos: Lembra-nos que a clave é quem dá o nome, a altura e o significado de tudo o que cantamos.
E a nossa clave és Tu, Sol nascente, Luz do Alto, que veio nos ensinar a profetizar pela canção, com os olhos para o alto e com os pés firmes no chão.
De todas as verdades És o supremo cantor.
Senhor Jesus, Nossa boca cantará o ritimo do Teu coração.
Unidos cantaremos a Tua eterna canção de Amor.
 Amém!


CECÍLIA SANTA,
CECÍLIA PURA,
VIRGEM PADROEIRA
DA MÚSICA,

ORAI POR NÓS
PECADORES
PARA TE VERMOS
NAS ALTURAS.